Our Story

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer. Proin gravida nibh vel velit auctor aliquet. Aenean sollicitudin, lorem quis bibendum auctornisi elit consequat ipsum, nec sagittis sem nibh id elit.

Working Hours

Monday - Friday 09:00AM - 17:00PM
Saturday - Sunday CLOSED

Latest News

    No posts were found.

Top
Vila Verde – Aldeias da Saudade
fade
437
destinations-template-default,single,single-destinations,postid-437,cookies-not-set,mkd-core-1.1.1,mkdf-social-login-1.2,mkdf-tours-1.3.1,voyage child theme-child-ver-1.0,voyage-ver-1.7,mkdf-smooth-scroll,mkdf-smooth-page-transitions,mkdf-ajax,mkdf-grid-1300,mkdf-blog-installed,mkdf-breadcrumbs-area-enabled,mkdf-header-standard,mkdf-no-behavior,mkdf-default-mobile-header,mkdf-sticky-up-mobile-header,mkdf-dropdown-default,mkdf-light-header,mkdf-fullscreen-search,mkdf-fullscreen-search-with-bg-image,mkdf-search-fade,mkdf-side-menu-slide-from-right,mkdf-medium-title-text,wpb-js-composer js-comp-ver-5.6,vc_responsive

Vila Verde

Concelho do território com uma população 47.888 habitantes em 2011, possui uma área de 229 km², o que lhe confere uma densidade populacional de 210 hab/km2. Os limites deste município são compostos a Norte pelo município de Ponte da Barca , a leste por Terras de Bouro, a sul por Braga, a sueste por Amares, a oeste por Barcelos e a noroeste pelo concelho de Ponte de Lima.

Vila Verde é um concelho com pouco mais de cem anos de existência e, um dos maiores da província do Minho. Foi fundado em 24 de Outubro de 1855, com a extinção de outros concelhos como, Pico de Regalados, Vila Chã e Larim, Penal e Prado, cujas origens remontam a nebulosos tempos da Pré-História e da Idade Média.

Património

Em termos de património imobiliário ele é constituído por um monumento nacional a Ponte de Prado (Rio Cávado) e por um conjunto de importantes imóveis de interesse público, nomeadamente a Casa de Carcavelos, os Castros de Barbudo e S. Julião, o Cruzeiro de Cervães, o Pelorinho de Prado e a Casa da Botica.

Os recursos etnográficos, a religiosidade e os usos e costumes locais têm neste concelho uma grande diversidade e riqueza cultural, estando bem patentes nas festas e romarias(cerca de centena e meia desses eventos festivos e religiosos ocorrem ao longo de todo o ano). As feiras, de periodicidade semanal, quinzenal, mensal e anual, o artesanato local no qual os Lenços de Namorados, verdadeiros ex-libris desta terra, os artigos em linho, a tecelagem em trapos, as miniaturas e brinquedos em madeira, as cangas e jugos de bois, os instrumentos musicais, a olaria, a cerâmica pintada à mão e os produtos agrícolas locais são importantes recursos locais que têm sido preservados e valorizados.

Em termos de património natural as linhas de água principais (Cávado, Homem e Neiva) e a zona montanhosa das encostas de Mixões da Serra assumem o maior destaque e são extremamente interessantes pela riqueza e diversidade da sua paisagem, flora e fauna.

Produtos locais

A carne de raças autóctones, com destaque para o frango criado em liberdade e que dá origem ao famoso arroz de “Pica no Chão” ou de cabidela são alguns dos produtos locais mais procurados por quem visita este concelho. O artesanato tradicional representado essencialmente pelos famosos Lenços de Namorados e todo um conjunto de novos produtos que surgiram a partir destes bordados, que já ganharam direito a um evento anual designado por “Namorar Portugal” assim como a uma marca registada, representam o que melhor se faz a nível da produção local neste concelho.

Turismo

Os rios Cávado e Homem são cursos de água que também atravessam este concelho e constituem excelentes locais de lazer , apresentando boas condições para o turismo fluvial (ex. canoagem, pesca desportiva). Ao visitar Vila Verde, conviva com as suas gentes, alojando-se no ambiente familiar, nas casas de turismo no espaço rural, e aprecie os saberes e sabores da nossa gastronomia tradicional.

A gastronomia local tal como nos outros concelhos, também aqui assume um papel de destaque, com o pudim “abade de priscos”, padre natural da freguesia de Turiz, que ficou famoso pelos seus dotes culinários, é uma das iguarias a não perder pelos visitantes, os quais não se devem esquecer de saborear o “arroz de pica no chão”(arroz de cabidela de frango caseiro).

As aldeias tradicionais de Pequenina/Casais de Vide, Casais, Nogueira e Mixões da Serra, são entre outras aldeias de montanha, aquelas onde é possível encontrar e conviver com todas as características de um meio rural ainda vivo, existindo um conjunto de infraestruturas de alojamento turístico e animação turística disponíveis, para todos aqueles que queiram desfrutar do contacto directo com este ambiente natural.

O pudim abade de priscos, do conhecido “Papa dos cozinheiros” – “Abade de Priscos”, natural da freguesia de Turiz, que ficou famoso pelos seus dotes culinários, é uma das iguarias que faz parte da herança gastronómica deste concelho e que deve apreciar com toda a atenção. Outras especialidades gastronómicas a salientar são os Rojões à moda do Minho, papas de sarrabulho, arroz de frango “pica no chão”, cozido à portuguesa, caldo verde, sempre acompanhado pela broa de milho, cabrito assado no forno, vitela barrosã, pataniscas de bacalhau, enchidos e o presunto.

Ao nível da sobremesa, rabanadas, aletria, creme queimado, pão-de-ló, sonhos, formigos, pudim de ovos , são uma pequena amostra das iguarias com que se pode deliciar. O vinho verde de grande qualidade, produzido no concelho, branco ou tinto, é um elemento indispensável que acompanha muito bem esta suculenta gastronomia, muitas vezes também como ingrediente, dando-lhe um paladar único em todo o mundo.

Gondomar

A aldeia de Gondomar situa-se na encosta de Mixões da Serra, concelho de Vila Verde. Esta localidade apresenta muitos vestígios arqueológicos, sobretudo da época pré-histórica, destacando-se uma mamoa no Monte do Barrete e uma sepultura medieval cristã, no lugar da Igreja. Aprecie a paisagem caracterizada pelos socalcos e verdes campos, carvalhais e giesta!

Na aldeia, atente no património bem conservado: o Cruzeiro (um dos mais antigos do concelho de Vila Verde), o Coreto e a igreja de Nossa Senhora da Assunção, um conjunto de casas rústico/rurais, que constituem o núcleo da típica aldeia minhota, os espigueiros e a casa da eira. O Fojo do Lobo, classificado como monumento de interesse concelhio, é o ex-líbris da zona. Trata-se de um dos fojos do lobo mais bem preservados do nosso país, e um dos maiores da Península Ibérica. Os lenços dos namorados, artesanato típico da região, são a recordação perfeita para trazer consigo!

Pequenina

Pequena aldeia  de uma das mais tradicionais freguesias de Vila Verde (Aboim da Nóbrega) situada em zona de montanha, situada a norte de Vila Verde e muito próximo do concelho vizinho de  Ponte da Barca. Composta por um aglomerado de casas rurais em granito, destacando-se pela sua antiguidade e história a famosa casa da Pequenina, imóvel de grandes dimensões comparativamente com os seus vizinhos, típico da arquitectura popular minhota, totalmente murada em granito, com um espigueiro em passadiço, capela e eira (onde por vezes ainda se realizam malhadas tradicionais em épocas festivas), pena é que esteja em avançado estado de degradação.

É possível apreciar uma paisagem com as casas quase encobertas pelas ramadas, espigueiros e medas de palha, e onde se pode apreciar junto aos terrenos circundantes plantações hortícolas e espécies pecuárias como os galináceos, ovelhas, vacas e cavalos.

Como pontos de interesse para o visitante temos a Casa do Picão (emigrante no Brasil que se afirma ter sido um dos fundadores da vila de Nª Srª do Bom Despacho no Brasil. A igreja de NªSrª da Assunção que em tempos remotos foi mosteiro de freiras beneditinas e cuja construção primitiva é do tempo do românico e a fonte do Dente Santo (dente ao qual outrora foram atribuídos poderes de cura da raiva a pessoas mordidas por cães com esta doença).

Santo António Mixões da Serra

Santo António de Mixões da Serra é uma aldeia genuína que se situa na freguesia de Valdreu, concelho de Vila Verde. A localidade caracteriza-se pelo casario típico minhoto, em granito, com elementos ligados às atividades tradicionais agrícolas, que foi alvo de restauro. Destaca-se, ainda, um pelourinho e os espigueiros, utilizados noutros tempos para secar e armazenar os cereais.

Desvende a história da Igreja de Santo António de Mixões da Serra e suba a escadaria que o levará a um deslumbrante miradouro com a imagem de Santo António. Admire os campos verdejantes sarapintados pelos animais no pastoreio: é muito provável que veja cavalos selvagens a pastar livremente! Desfrute do espaço de lazer existente que convida à realização de agradáveis piqueniques em família e retempere energias inspirando a pureza do ar da serra!

Se gosta de aventura efetue a Rota de Mixões da Serra, um percurso cicloturístico destinado a ser percorrido em BTT (cerca de 26 quilómetros), quase todo feito por caminhos florestais. O evento principal da aldeia é a centenária Bênção dos Animais, que se realiza, em junho, no conhecido Santuário de Santo António de Mixões da Serra. Uma tradição que remonta ao século XVII e que leva milhares de pessoas a Mixões da Serra.

Mapa




Deixe o seu comentário