CASA DOS ABREUS

Palácio urbano barroco de planta rectangular e alçado de dois pisos com uma fachada de grande sobriedade, situado em pleno centro da freguesia de Pico de Regalados.         

CITÂNIA DE SÃO JULIÃO

A Citânia de São Julião situa-se no monte de São Julião, numa região entre a montanha e o vale, uma zona atraente para grandes povoados castrejos.        

IGREJA DE ABOIM DA NÓBREGA

É um notável exemplar de arquitectura maneirista, onde se destacam a capela lateral de invocação a São Miguel, edificada no século XVI, os tectos barrocos da nave e capela-mor em caixotões pintados com caixilhos de talha dourada. A Igreja de N.ª S.ª da Assunção de Aboim da Nóbrega foi, em tempos remotos, mosteiro de freiras Beneditinas, tendo pertencido ainda à Ordem de Malta. Esta igreja que inicialmente era românica passou por reformas que lhe alteraram a traça primitiva. O tecto da igreja, um dos mais ricos e artísticos do norte do país, é constituído por 80 caixotões em talha dourada trabalhada, que enquadram pinturas alusivas ao «Magnificat» do qual se destacam os próprios versículos. Visite as pequenas capelas de S. Sebastião, S. João, Pequenina, Srª. do Amparo, S. Simão, Sr. Piedade, Salvé Rainha, Capela Mortuária e os cruzeiros do Adro, Casais de Vide, Povoadura, Lameira, entre outros.

ECOMUSEU ABOIM DA NÓBREGA

O Ecomuseu de Aboim da Nóbrega, criado e promovido pela ACRMAN (Associação Cultural Recreativa e Musical de Aboim da Nóbrega) com o objectivo de manter vivas muitas das tradições e culturas da freguesia, nomeadamente os famosos Lenços dos Namorados, a funcionar no Salão Paroquial de Aboim da Nóbrega, no lugar da Igreja. No Eco-Museu estão expostos objectos em vias de extinção das casas rurais assim como bordados genuínos de Aboim da Nóbrega (toalhas, cortinas, camisas, lençóis, lenços de namorados, etc.). No Eco-Museu também é possível apreciar ao vivo artesãs confeccionando bordados de Aboim da Nóbrega, e até à tecelagem de panos de linho pelo método de há várias décadas atrás.

FOJO DO LOBO DE GONDOMAR

O Fojo do Lobo é uma armadilha para impedir que estes animais de destruírem os rebanhos e porem em causa a segurança das populações. O Fojo do Lobo de Gondomar é um dos fojos mais bem preservados do país. O seu formato em Y encaminhava os lobos em direcção ao buraco camuflado com ramos e vegetação. Hoje em dia este processo não é permitido e deu lugar a um conjunto de regras que vigoram para garantir a preservação desta espécie em vias de extinção.

MOSTEIRO DE VALDREU

Situado a vários quilómetros do alto de Mixões da Serra, o centro da freguesia gravita em torno do antigo Mosteiro de Valdreu, onde se encontra a igreja matriz, cujas origens remontam a épocas anteriores à nacionalidade. Algumas peças primitivas do monumento, que surge referenciado em documentos já na entrada no século XII, evidenciam a religiosidade das gentes destas terras ainda no primeiro milénio desta era.

MUSEU TERRAS DE REGALADOS

O Museu Terras do Regalado apresenta, no Pico de Regalados, o espólio de arte sacra que se encontrava disperso entre a Igreja Paroquial e as capelas da freguesia de Vila Verde, como imagens, paramentos e objectos de uso da igreja. PONTE DE PRADO Uma ponte de granito, estilo românico, constituída por nove arcos (5 ogivais e 4 redondos) que foi construída em 1617, sob o reinado de Filipe I de Portugal, com traça do arquitecto António de Castro. A Ponte do Prado localiza-se sobre o rio Cávado, entre as freguesias de São Paio de Merelim e Vila de Prado, no concelho de Braga e encontra-se classificada como Monumento Nacional desde 1910. Ao longo de sua história foi por diversas vezes arruinada pelas cheias do Cávado e tem o trânsito interdito a veículos pesados.

SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA DO BOM DESPACHO

O Santuário de Nossa Senhora do Bom Despacho foi fundado pelo ermitão João da Cruz em 1644. Situa-se na freguesia de Cervães, em Vila Verde, junto do vale do Cávado. Nos altares laterais dedicados a São José e à Apresentação da Virgem estão colocados painéis de pintura do século XVII.

SANTUÁRIO DE SANTO ANTÓNIO MIXÕES DA SERRA

O pequeno santuário de Santo António de Mixões da Serra foi edificado a partir de uma pequena capela do século XVI, esteve em obras entre 1916 e 1952, altura em que, por iniciativa do padre João de Deus, foram construídas as duas torres redondas da fachada. A secular Bênção dos Animais, enquadrada pela imponente envolvente do santuário de Santo António de Mixões da Serra, apresenta-se como o evento de referência da freguesia com maior área de território de todo o Vale do Homem. A pastorícia assume-se claramente como a actividade mais profícua para as gentes que recusam abandonar este ‘paraíso’ da natureza, mantendo uma serena vida comunitária em pequenos núcleos rurais.

TORRE E CASA DE SOUTELO

A Casa da Torre – Centro de Espiritualidade e Cultura – é propriedade da Companhia de Jesus e está situada em Soutelo, Concelho de Vila Verde, sete quilómetros ao norte de Braga. Tendo como matriz a Espiritualidade Inaciana, quer ser um lugar privilegiado de crescimento na fé. A Casa da Torre está aberta a todo o tipo de pessoas que procuram progredir na sua formação espiritual e cultural.

TORRE DE PENEGATE

A Torre de Penegate é uma torre de planta rectangular, em granito, que se localiza na freguesia de São Miguel de Carreiras. A actual estrutura foi erguida por Mem Rodrigues de Vasconcelos, cavaleiro de D. Dinis na guerra que opôs este monarca ao seu filho, o futuro rei D. Afonso IV. D. Dinis autorizou a construção de uma “domus fortis” que tinha a função de proteger Mem Rodrigues no cargo que então ocupava. Em princípios do século XVII o então proprietário Miguel Valadares, cónego de Guimarães e desembargador em Braga, fez erguer a Capela de Nossa Senhora da Pena para sua sepultura, conforme inscrição epigráfica na fachada principal. A Capela de Nossa Senhora da Penha, de pequenas dimensões, em estilo barroco, conserva o retábulo-mor contemporâneo, em estrutura tripartida, com a imagem de Nossa Senhora ao centro, e as de São João e Santo António, em painéis pintados, de ambos os lados. No início do século XX, em 1907, a torre passou para a família dos actuais proprietários, tendo tido lugar, em décadas posteriores, obras de consolidação e restauro.

TORRE DE GOMARIZ

É uma torre quinhentista e a ala residencial adossada é setecentista, tento ainda uma capela barroca. Foi erguida em 1296, quando a quinta foi adquirida pelo Abade de Cervães e contador de D. Dinis, cónego Estevão Durão Esteves. Mais tarde, durante o século XVI, a torre foi reedificada pela família dos Cunhas e, em 1913, adquirida pelo actual proprietário. É uma habitação nobre característica dos séculos finais da Idade Média e propriedade de relevante importância no contexto regional, sendo um dos mais interessantes vestígios medievais e quinhentistas da implantação nobre a norte de Braga.

TORRE DE ORIZ OU DOS COIMBRAS

Datada do séc. XIV, trata-se de uma torre de habitação senhorial medieval de forma quase quadrada com dois pisos, paredes em granito e janelas muito estreitas. Anexa à torre fica uma casa seiscentista. O conjunto testemunha a evolução de um determinado estilo de habitação nobre rural minhota, que se expandiu a partir de um pólo original de características defensivas. 

ECO-MUSEU DE ABOIM DA NÓBREGA

Criado pela ACRMAN (Associação Cultural Recreativa e Musical de Aboim da Nóbrega) tem o objectivo de manter vivas muitas das tradições e culturas da freguesia, nomeadamente os famosos Lenços dos Namorados. Funciona no Salão Paroquial de Aboim da Nóbrega, no lugar da Igreja. Aqui estão expostos objectos em vias de extinção das casas rurais assim como bordados genuínos de Aboim da Nóbrega. No Eco-Museu também é possível apreciar ao vivo a confecção de bordados de Aboim da Nóbrega e a tecelagem de panos de linho.      

FOJO DO LOBO DE GONDOMAR

O Fojo do Lobo de Gondomar é um dos fojos mais bem preservados do país. Armadilha para impedir que estes animais destruíssem os rebanhos e pusessem em causa a segurança das populações, o seu formato em Y encaminhava os lobos em direcção ao buraco camuflado com ramos e vegetação. Hoje em dia este processo não é permitido e deu lugar a um conjunto de regras que vigoram para garantir a preservação desta espécie em vias de extinção. 

  IGREJA DE ABOIM DA NÓBREGA

É um notável exemplar de arquitectura maneirista, onde se destacam a capela lateral de invocação a São Miguel, edificada no século XVI, os tectos barrocos da nave e capela-mor em caixotões pintados com caixilhos de talha dourada. A Igreja foi, em tempos remotos, mosteiro de freiras Beneditinas, tendo pertencido ainda à Ordem de Malta. O tecto da igreja, um dos mais ricos e artísticos do norte do país, é constituído por 80 caixotões em talha dourada trabalhada, que enquadram pinturas alusivas ao “Magnificat” do qual se destacam os próprios versículos.  

IGREJA DE COUCIEIRO

A Igreja paroquial de Coucieiro é caracterizada por uma arquitectura religiosa e românica. Pertenceu inicialmente à Ordem dos Templários, passando mais tarde para a Ordem de Cristo e por fim para a Igreja Católica.      

IGREJA DO MOSTEIRO DE VALDREU

Situado a vários quilómetros do alto de Mixões da Serra, o centro da freguesia gravita em torno do antigo Mosteiro de Valdreu, onde se encontra a igreja matriz, cujas origens remontam a épocas anteriores à nacionalidade. Algumas peças primitivas do monumento, que surge referenciado em documentos já na entrada no século XII, evidenciam a religiosidade das gentes destas terras ainda no primeiro milénio desta era. :more:PT     IGREJA DE ORIZ SANTA MARINHA A Igreja de Oriz Santa Marinha é constituída por uma nave e uma capela-mor de origem barroca, decoradas com talha dourada de “estilo nacional”, denotando no entanto algumas influências joaninas.      

IGREJA ROMÂNICA DE PEDREGAIS

Esta igreja construída no século XII insere-se nos abundantes testemunhos da arquitectura românica da região.         

MUSEU DE TERRAS DE REGALADOS

O Museu Terras do Regalado apresenta, no Pico de Regalados, o espólio de arte sacra que se encontrava disperso entre a Igreja Paroquial e as capelas desta freguesia do concelho de Vila Verde, como imagens, paramentos e objectos de uso da igreja.       

 PELOURINHO DE LARIM

Em Soutelo, no jardim da Casa da Torre, ergue-se o Pelourinho de Larim, escondido na base por uma camada de musgo e com uma cruz de ferro torcido no topo.        

PONTE DE CALDELAS

Localizada no lugar de Ponte, a Ponte de Caldelas tem três arcos que se debruçam sobre o rio Homem e que conectam as freguesias de Coucieiro e Ponte de São Vicente à freguesia de Caldelas. É uma ponte romana que contém características medievais.      

PONTE DE PRADO

Uma ponte de granito, estilo românico, constituída por nove arcos (5 ogivais e 4 redondos) que foi construída em 1617, sob o reinado de Filipe I de Portugal, com traça do arquitecto António de Castro. A Ponte de Prado localiza-se sobre o rio Cávado, entre as freguesias de São Paio de Merelim, no concelho de Braga, e Vila de Prado, no concelho de Vila Verde, e encontra-se classificada como Monumento Nacional desde 1910. Ao longo de sua história foi por diversas vezes arruinada pelas cheias do Cávado e tem o trânsito interdito a veículos pesados.    

SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA DO BOM DESPACHO

O Santuário de Nossa Senhora do Bom Despacho foi fundado pelo ermitão João da Cruz em 1644. Situa-se na freguesia de Cervães, em Vila Verde, junto do vale do Cávado. Nos altares laterais dedicados a São José e à Apresentação da Virgem estão colocados painéis de pintura do século XVII.        

SANTUÁRIO DE SANTO ANTÓNIO MIXÕES DA SERRA

O pequeno santuário foi edificado a partir de uma pequena capela do século XVI, esteve em obras entre 1916 e 1952, altura em que, por iniciativa do padre João de Deus, foram construídas as duas torres redondas da fachada. A secular Bênção dos Animais, enquadrada pela imponente envolvente do santuário, apresenta-se como o evento de referência da freguesia. A pastorícia assume-se claramente como a actividade mais profícua para as gentes que recusam abandonar este ‘paraíso’ da natureza, mantendo uma serena vida comunitária.    

SOLAR DE GONDOMIL

Localizado no concelho de Vila Verde, o Solar de Gondomil é caracterizado pelo estilo barroco e é um exemplo da arquitectura residencial da época.        

TORRE E CASA DA TORRE DE SOUTELO

A Casa da Torre – Centro de Espiritualidade e Cultura – é propriedade da Companhia de Jesus e está situada em Soutelo, Concelho de Vila Verde, sete quilómetros ao norte de Braga. Tendo como matriz a Espiritualidade Inaciana, quer ser um lugar privilegiado de crescimento na fé. A Casa da Torre está aberta a todo o tipo de pessoas que procuram progredir na sua formação espiritual e cultural.          

TORRE DE PENEGATE

A Torre de Penegate é uma torre em granito, localizada na freguesia de São Miguel de Carreiras. Foi erguida por Mem Rodrigues de Vasconcelos, cavaleiro de D. Dinis na guerra que opôs este monarca ao seu filho, o futuro rei D. Afonso IV. Em princípios do século XVII o então proprietário Miguel Valadares fez erguer a Capela de Nossa Senhora da Pena para sua sepultura. No início do século XX, em 1907, a torre passou para a família dos actuais proprietários, tendo tido lugar, em décadas posteriores, obras de consolidação e restauro.   

TORRE DE GOMARIZ

Foi erguida em 1296, quando a quinta foi adquirida pelo Abade de Cervães e contador de D. Dinis, cónego Estevão Durão Esteves. Mais tarde, durante o século XVI, a torre foi reedificada pela família dos Cunhas e, em 1913, adquirida pelo actual proprietário. É uma habitação nobre característica dos séculos finais da Idade Média, sendo um dos mais interessantes vestígios medievais e quinhentistas da implantação nobre a norte de Braga.        

TORRE DE ORIZ OU DOS COIMBRAS

Datada do século XIV, trata-se de uma torre de habitação senhorial medieval de forma quase quadrada com dois pisos, paredes em granito e janelas muito estreitas. Anexa à torre fica uma casa seiscentista. O conjunto testemunha a evolução de um determinado estilo de habitação nobre rural minhota, que se expandiu a partir de um pólo original de características defensivas.